Todos tem aqueles em quem se inspiram. Principalmente, na área da ciência. Sempre buscamos exemplos daqueles que conseguiram algo inimaginável. Além do alcance. Isso para que possamos acreditar que nós seres humanos somos capazes de ir além (Ao infinito e além). Desde que comprei meu primeiro macbook, em meados de 2009, quis saber mais do porque aquele computador ser um fetiche. Seriam só sua beleza e funcionalidade integradas? Fui descobrindo por trás de cada um daqueles detalhes a figura de um homem. Que aquela marca, muitas vezes chamada de elitista, era responsável pela popularização dos computadores (mp3 player, tablet e smartphone). Que um homem era o responsável por aquilo, por acreditar que poderia deixar sua “marquinha no universo”. Sem divagar muito, comprei livros e me aprofundei no pensamento que permeava nos bastidores da Apple, Pense Diferente. Fui entendendo o valor do design, até finalmente entender o porque de eu gostar tanto de fazer o que faço, de fazer mapas! Dessa maneira,fazendo mapas, se pode aproximar ciência e arte. Design, técnica, geografia, simbologia, engenharia, informática, artes plásticas, história, satélites, etc. E esse foi o homem, ser humano, que me inspirou a olhar cada detalhe, prestar atenção em cada cor, em cada símbolo que colocava em um mapa. De fazer sempre as coisas prestando atenção nos mínimos detalhes.

Um ano sem Steve

Categorias: Uncategorized

Murilo Cardoso

Murilo Cardoso é Geógrafo e Analista em Geoprocessamento. Considerado um dos 3 melhores profissionais do ano de 2017 na área de Geotecnologias. Mais de 50 artigos publicados na área. Escreve sobre o assunto desde 2010. Diretor da empresa de cursos em geotecnologias que mais cresce no Brasil, a AcadGEO e Analista em Geoprocessamento em uma das empresas de engenharia ambiental mais tradicionais do país, a DBO Engenharia. Natural de Goiânia. Tiete de Douglas Adams, Steve Jobs e Albert Camus

Igor Viana · às

Muito inteligente a sua aplicação da teoria de Jobs dos mínimos detalhes e do valor do design aos mapas. Jobs receberá o devido crédito, com o tempo. E ele é insubstituível!

    Murilo Cardoso · às

    Igor, Steve Jobs, na minha opinião, é tão importante para a humanidade quanto Einstein, Graham Bell e Da Vinci =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *